domingo, outubro 09, 2005

o velho gaudério nas novas trihas

Seu Isabelino conheci há pouco. umas poucas horas atrás quando voltava pra casa. o gaúcho em sua bombacha sentado na entrada de uma Lan House. podia até ser um segurança novo. depois da briga desatinada entre soldados a paisana e uma gurizada passada que assombrou a cidade na noite anterior podia até ser. curioso incorrigível, entrei como quem não quer nada. terminei ocupando o ugar do Martín que é castelhano e se travava de vez em quando naguma regra da gramática patriótica, mas malévola.
disse que era pai da moça aquea que me servia na anchonete que almoçava. guria bem criada. como asoutras e outros que juntos somavam 23. vinte e tres seu Isabelino!? mas não é comum. nada na história era. e por troca do favor que pra mimfoi um prazer, ainda fui ouvinte da versão que dava da vida aos 70 anos.
o causo todo era porque amanhã estava cassificado para a final do concurso de versos na Expofeira Agropecuária da cidade. vencera tres etapas e agora lhe pediam " por escrito" seus versos. sera que o danado recria sempre que declama a sua poesia?
por via das dúvidas lhe pedi licença para ficar com uma cópia, que é de onde transcrevo os versos abaixo.
é uma irresistível história de amor versão gaudéria. ingênua até as vezes, mas certamente deliciosa.
é para depois dos filhos bem criados, entre ele e ela. obrigado Seu Isabeino, pela oportunidade. boa sorte amanhã no parque do Sindicato Rural. serás o meu favorito.

Um comentário:

Cristina Haas disse...

que interessante, ouvia marcelo D2 e gabriel o Pensador no Sérginho Grossman com seu 5 aniversário na telinha de madrugada ...navegando lia tuas linhas, poesia do cotidiano com o toque nativo gaudério,tão bom para o coração saudoso da terrinha!! é tão demais!! bacana saber através de tua percepçao sutil gentil e generosa. até outra vez Jorge